sábado, 30 de abril de 2011

Minha primeira revista de noiva!

Eu já tinha fuçado algumas revistas de noiva [das pilhas e pilhas da loja da minha mãe] e sempre pensei que não precisaria/não teria vontade de comprar mais nenhuma. O problema [pelo menos pra mim] é que a grande maioria das revistas é de São Paulo e, consequentemente, a maioria dos anunciantes também.

Daí que quando descobri a revista
Noivas Rio de Janeiro rodei a Zona Sul e o Centro do Rio inteiros atrás dela. Quinta feira eu encontrei a edição de aniversário em uma banca na Av. Rio Branco. A capa é esta da foto:



Gente, são 450 páginas!




Quando namorido chegou no apê e viu a revista só comentou:

“- Putz! Agora vocês noivas também têm Páginas Amarelas, é?

E é claro que fez a velha piadinha de gritar e sair correndo, né? ¬¬

Em homenagem ao bom humor do Elmo é que vou postar as imagens aí de baixo.

Não lembro em quais blogs deixei o comentário sobre a relação dele com as revistas de noiva [cabeça de vento, eu]. Outro dia ele estava meio à toa e perguntou se poderia fazer anotações em algumas das mais antigas. No início não entendi patavina. Logo depois, quando peguei a revista de volta, entendi o que a criatura chamou de “anotações”...

- Já que não vou poder dar muita opinião no teu vestido, que é o que vai chamar mais atenção no dia, pelo menos vou opinar no que não quero!

Essas são só algumas [ctrl + clique na foto faz elas abrirem em outra aba em tamanho maior]:





Mas ele não poderia dar opinião, né?



Acessório


Aluga-se espaço para publicidade

... E só poderá sair quando terminar de cozer, limpar, lavar, tirar o lixo, alimentar os cavalos e polir todas as maçanetas, Cinderela!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Petit verres e o susto dos convites...

Petit verre. Taí outra coisa que eu morreria sem saber que existe [nesse mundinho paralelo], se não tivesse resolvido casar.
E cara, como o preço dessa coisinha vareia, hein? Aliás, como o preço de tudo relacionado a casamento tá me deixando besta!
Hoje aproveitei mais um almoço pra bundear na SAARA e acabei em uma gráfica "famosinha" daqui do Rio.

Não sei se vai dar pra ver direitinho na foto, mas a gente tinha pensado em alguma coisa mais ou menos assim pros convites [mais uma vez não lembro de onde tirei a foto]:


Acabou que chegando lá me encantei por um dos modelos mais simples: quadradinho, papel opaline, sem monograma [pra eu poder colocar a fita e nada ficar por baixo], relevo americano. Mais de mil dinheiros! O.O
O preço tá meio alto mesmo ou sou eu que tenho que pedir um aumento pra Sra. Presidenta?

Encontrei essa outra gráfica que aceita encomendas online e tem o preço um pouco mais amigo, mas como o site não tem muitas opções de fonte e não é muito difícil de ir lá, vou tirar um dia pra fazer uma visita.


E os petit verres.

Na meia dúzia de lugares onde pedimos orçamento/visitamos o preço ficou entre R$2,00 e R$3,00.
Como o Google não presta, dei uma fuçada e encontrei essa empresa que vende a caixa com 100 vasinhos por R$95,00 e o cento das colherzinhas por R$3,00.
Segundo o Zona Sul Atende [que é careiro pra chuchu!], a lata de leite condensado Itambé custa R$2,69 [tá mais barato e não gosto da lata curvilínea do leite Moça porque corta meu dedo], a do creme de leite da mesma marca custa R$2,29 e a garrafa de suco de maracujá Maguary [meia garrafa na receita], R$5,69. Dá R$10,67 de compras no mercado [fazendo a conta com meia garrafa].

Fazendo uma conta de botequim [De botequim mesmo, gente! O físico aqui é o namorido e eu tô dopadinha de remédio pra gripe, então relevem se eu escrever bobagem, ok?]:
200ml de leite condensado + 200ml de creme de leite + 250ml de suco de maracujá - mousse que fica grudada no liquidificador = mais ou menos 600 ml de "produto final"

Se em cada vasinho cabe 20ml, aquela presepada toda ali de cima rende 30 vasinhos, certo?

Dividindo R$10,67 pelos 30 vasinhos, dá R$0,36 por doce.

Somando a embalagem: R$0,95 + R$0,03 [da colher. Por enquanto estou desconsiderando a fitinha que vai amarrar um no outro, mas fita de cetim nº0 custa o que? R$0,20 o metro?]

Logo, custo da embalagem = R$0,98

Depois dessa contaiada toda, chegamos num valor de R$0,36 + R$0,98 = R$1,34 por doce
[Desconsiderando também o valor do frete, já que a empresa é de São Paulo (ainda não encontrei vasinhos na SAARA. AINDA!) e o envio é por Sedex]

Pegando os dois extremos de valores que encontrei [R$2,00 e R$3,00], temos um preço médio de R$2,50, o que dá uma diferença de R$1,16 por petit verre.

Depois de levar um passa fora da família [que disse que semana de casamento não é pra ir pra cozinha e yada, yada, yada], resolvi que vou mandar fazer os meus, só não resolvi ainda onde.

No final das contas, vocês acham mais negócio encomendar ou fazer em casa?

Só pra constar [4]

Incluindo esse post depois que escrevi o testamento que vem logo em seguida. Ficou grande e viajante demais, acho que ando dormindo pouco...

E fiz um monte de contas loucas, depois não digam que não avisei!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Músicas da festa [1]

Quinta passada, comemoração do aniversário do namorido [esse assunto tá rendendo...], o povo veio pra cá ver filminho, falar bobagem e tomar cerveja, né?

O filminho só começou de madrugada porque nossos amigos serelepes viciados em youtube [em especial o padrinho #1 do Elmo, que fez uma gambiarra e ligou o computador na tv] ficaram fuçando vídeos dos anos 80, pulando e dançando até uma da manhã. Tadinhos dos vizinhos do 3º andar...

Chamei madrinha #3 num canto e perguntei: seria muito tosco fazer uma recepção anos 80?

A mulé ficou toda serelepe! Claro que me sacaneou por eu não ser uma autêntica pré-adolescente da década mais falada dos últimos tempos, mas eu tinha o copinho da Nina Hagen [brinde da Pepsi no Rock in Rio 1], ora bolas! E logo na primeira vez que conversei com o DJ já dei a entender que se tocasse funk/pagode/axé/sertanejo o cheque com o pagamento seria sustado no dia seguinte ao casamento...

[Pensei até em colocar um telão com os clipes superproduzidos daquela época, mas aí o povo já achou presepada demais... =) ]

Daí que desde semana passada fiquei pensando nisso e hoje, já que o blog ta quase completando um mês sem eu deletar [eu devia ter apostado com o Elmo... ¬¬], resolvi que vou fazer um post semanal/quinzenal/mensal [ainda não resolvi] com 5 [10 achei muito] músicas que queremos em nossa festinha.

Nesse primeiro post tem uma música a mais de brinde. A música que namorido escolheu pra gente entrar no salão no início da festa.


White Wedding – Billy Idol [decoração com margaridas e gipsofilas, ‘tendeu? ‘tendeu?]


Private Idaho – The B-52's

Propriedade de EMI Publishing

Ska – Os Paralamas do Sucesso




Head Over Heels – Go-Go's



Propriedade de UMG

99 Luftballons – Nena



Propaganda – Duel


Propriedade de PIAS

E aí, idéia aprovada? =)

[aceito sugestões de músicas, periodicidade de posts e número de músicas por post, viu?]

terça-feira, 26 de abril de 2011

Caramelos personalizados

[talvez seja interessante dar uma olhadinha no post anterior!]

O povo lá na minha mãe sempre diz que o Google é o inferno na terra pros hipocondríacos. Basta você ter uma pontadinha na nuca pra jogar "pontadinha na nuca" no Google e achar que tá com um aneurisma.


[Pausa para explicação: tô fazendo piada com isso porque aconteceu comigo, ok? Culpa da neurologista que suspeitou que era um aneurisma e me mandou pra tomografia... *bate na madeira* Mas isso é assundo pra outro post.]

Então que desde que entrei nesse mundinho paralelo das noivas, só descubro mais e mais coisas pra gastar dinheiro, MeoDeos!

[Quem é que ia casar num restaurantezinho domingo de manhã no meio do mato mesmo, hein?]

Enquanto for escrevendo por aqui darei mais detalhes do que namorido e eu imaginamos pra decoração da nossa festa [não mais tão humirde], mas basicamente queremos uma decoração branca com detalhes [poucos] coloridos.

Já estávamos conversando sobre incluir kits de desenho pra crianças [dos meus 'trocentos primos, pelo menos metade tem menos de 10 anos, fora os de 2º e 3º grau], fazer tsurus coloridos e tal. Foi quando, sabe-se lá como, descobri que dá para personalizar caramelos coloridos com os nomes dos noivos! *.*

Mais uma vez achei a foto no Google Images. Se você for o dono, já sabe o que fazer e yada, yada, yada

Tonta eu de achar que não existia, né? ¬¬

Parti pras pesquisas e encontrei dois fornecedores possíveis:

Papabubble: é uma franquia espanhola, se não me engano. Segundo informações do site, "o pedido mínimo para balas personalizadas é de 4 quilogramas para 1 letra, 6 quilogramas de 2 à 5 letras, 10 quilogramas de 6 a 12 letras. O custo é de R$70,00 o quilograma."

Logo, no meu caso, um total de R$700,00.
[pedi informações sobre o custo do frete, pois a única filial no Brasil fica em São Paulo, mas eles enviam por Sedex para todo o Brasil]

Galo Doce: a "versão nacional" [saudades de quando meus tios compravam um pirulitão colorido pra mim no meio das viagens pro interior...]. Pelo que me informaram por e-mail, o quilo custa R$60,00 e o pedido mínimo é de 20 quilos.

Total de R$1200,00.

Conclusão: São lindinhas, mas vou esperar a PLR de 2012 ou o resultado das cotas de lua de mel pra saber se vai ter balinha personalizada no casório! =P

Só pra constar [3]

Eu AMO arco-íris.

Sério, chego a chorar quando vejo um.
Pode parecer bobo por eu ser uma pessoa que não vai à missa tem mais de mês, mas sempre me bate aquela coisa de se tem um arco-íris no céu é um sinal de que nós ainda temos chance, por mais que estejamos esculhambando com nosso mundinho...
O resultado disso é que não posso ver uma coisa colorida que já fico maluquinha. Quer uma prova?

Foto tosca tirada com o celular.

Isso aí é parte das bolas de Natal da árvore aqui do apê [2,10m de altura, sente a falta de espaço no mês de dezembro!], que tem o carinhoso apelido de Bandeira do Posto 9 da praia de Ipanema. Tirei a foto quando estava guardando, não encontrei uma foto da árvore montada.

Entenderam o porquê [tem acento? oO] de eu ter encasquetado com as Rainbow roses? 'Cês ainda vão ver muitas coisas coloridas por aqui... =)

Isto posto, acho que o próximo post vai ser um pouquinho mais compreensível... ;)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Músicas para a cerimônia


Lá no início do blog eu comentei que nossa vontade era casar de manhã em uma capelinha no meio da Floresta da Tijuca, lembram?

Então que de um casamento em um domingo de manhã no meio do mato passamos para um casamento em um sábado de noite. Também no meio do mato, mas um meio do mato chiquê.

Nunca me imaginei entrando na igreja com a Marcha Nupcial, Ave Maria ou qualquer das músicas mais pedidas. Até pensei na Cânon em Ré Maior [de Johann Pachelbel], mas não é bem esse o tom que queremos dar para o casamento, mesmo sendo um pouquinho [bem inho] mais tradicional do que a ideia inicial.

Já na primeira vez em que fomos conversar com a moça responsável pela igreja perguntamos se era permitido tocar músicas não sacras na cerimônia.

‘Cês deviam ter visto os zoião que a mulher abriu, gente! No final das contas ela entendeu o que tínhamos em mente e disse que desde que nenhum padrinho entre sambando, não teremos maiores problemas [e graças aos céus acho que não tem mesmo, porque no dia que fomos bisbilhotar a decoração da cerimonialista lá no salão, tinha alguém entrando na igreja ao som de Velha Infância].

Mas vamos ao que interessa.

Como toda boa bridezilla, uma das primeiras coisas que fiz foi entrar em um grupo de discussão de noivas, certo? Daí que esses dias as meninas comentaram a respeito de música para a cerimônia e eu descobri que não pensei em metade das músicas que eu preciso!!! O.O [ok. Eu sou uma católica de meia pataca...]

Lá vai:

Entrada do Noivo: Memories of Green – Vangelis [Namorido A M A Blade Runner! A versão do cd que eu tenho aqui em casa é mais “felizinha” que a do link.]

Entrada dos Padrinhos: Fluff – Black Sabbath [Estranharam Black Sabbath nessa lista, hein? Pessoinhas más que não um crédito para o Sr. Osbourne! =P ]

Entrada das Daminhas: ??? [os daminhos não entram logo antes de mim e com a mesma música, não? oO]

Entrada da Noiva: Here, there and everywhere – The Beatles [mas em uma versão orquestrada que estou tentando comprar no Amazon mas não consigo de jeito nenhum!]

É a música considerada a mais linda dos Beatles, dá licença?

Confesso que só tive a ideia de escolher essa música depois do casamento da Phoebe, na 10ª temporada de Friends! xD

Compromisso: ???

Benção das Alianças: ???

Cumprimentos: ???

Saída dos Noivos: God only knows – The Beach Boys

Tem noção que [reza a lenda que] Paul McCartney chora quando escuta essa música?

E que [reza outra lenda] o mesmo Paul disse que não poderia mais escrever a música mais perfeita de todas porque Brian Wilson já tinha feito isso? [Nojenta demais, eu!]

Saída dos padrinhos: God only knows – The Beach Boys [continuação, logo atrás dos noivos]


E nessa estamos com meia dúzia de três ou quatro músicas em aberto. Vocês têm alguma sugestão?

domingo, 24 de abril de 2011

Atualização - Rainbow roses

Sobre a experiência feita lá na minha mãe, não funfou.

Lembra que ela ficou de tirar uma foto no dia seguinte se tivesse alguma "evolução"?
Pois então. Não só não evoluiu, como caiu do vaso, deu dois suspiros e depois morreu. ¬¬


Fiquei pensando se as condições da experiência não teriam mesmo influenciado [rosa barata e não muito fresca + corante comprado na lojinha da esquina] e resolvi tentar de novo. Comprei uma rosa colombiana na Cobal, corantes
de marca no mercado empório aqui de baixo e...

...não funfou de novo!

Comecei a segunda tentativa na quinta feira de tardinha, mais ou menos meia hora antes de o povo começar a chegar pra comemoração do aniversário do namorido. Eu também deveria ter atentado pra isso: recebi o pessoal com a mão parecendo mão de criança do prézinho depois que fez aula com tinta guache, toda colorida.

Na manhã da sexta feira só tinha uma pétala pintada de azul e nada que indicasse que melhoraria muito, então cortei um pedaço do caule, coloquei a rosa apenas no corante azul e o resultado quando cheguei em casa hoje foi esse aí:


Como diriam os Mythbusters, mito detonado!

Tá certo que - mais uma vez - não fiz a coisa toda com jeitinho e paciência, talvez merecesse uma terceira tentativa.
O problema é que quando madrinha Lilica chegou aqui na quinta feira, viu a presepada toda em cima da pia, perguntou pra que era e eu expliquei sobre o buquê arco-iris ela disse:

- É... Legal... Se você resolver casar com uma garota, né?

Desisti. Acho que serão gerberas mesmo...



Atualização: Ela tava me sacaneando
! =) [E a essa altura acho que já estava com algumas Itaipavas na cabeça...]

quarta-feira, 20 de abril de 2011

O topo do bolo

Ok, já passa da meia noite de uma véspera de feriado, mas eu tinha que dizer isso.

Eu nem tinha muita certeza se teríamos noivinhos no bolo ou não porque pra cada meia dúzia de esculturas lindas que vi, encontrei no google outra meia dúzia que mais parecia o Stay Puft...¬¬

Até pensei em entrar em contato com a Fernanda da Closet Store [aliás, super recomendo!!!] pra ver se ela poderia trazer pra mim esse da foto ali de baixo em sua próxima viagem, já que minha próxima viagem deve ser a da lua de mel e olhe lá [viagem de trabalho não conta!],

Êêêêê-váááá!!!

mas fiquei apreensiva de gastar uns 80 dólares pra depois não combinar com nada da decoração...


Então que estava eu aqui com febre no sofá e namorido todo cheio de cuidados, se propondo a fazer sopinha e tudo [e acabou quebrando o terceiro termômetro desse apartamento, mas tudo bem].
Mas poxa! Era aniversário dele, né? Tá certo que a comemoração vai ser amanhã [caso algum dos nossos amigos consiga atravessar o Aterro], mas seria muita derrota ficar em casa...
Sacodi a poeira e descemos pra um dos muitos barzinhos da vizinhança. Nisso liga uma amigona nossa [e madrinha dele] dizendo que queria passar por aqui nem que fosse só pra dar um abraço.

Resumo da ópera: ela falou que vai fazer os nossos noivinhos do topo do bolo!!!

Gente, tem noção que a menina é formada em Escultura pela EBA???

E que quando ela comentava sobre as ideias que teve pros noivinhos, tudo "casava" com o que eu andei imaginando, mas não sabia se seria possível fazer?


Deixa eu voltar ali pro cantinho pra rir que nem maluca.
E olha que nem foi efeito do milk shake de brownie que eu tomei!

[aí meu fígado esteatótico...]

Parabéns, moço!

Não sei se vocês tiveram saco paciência de ler desde o primeiro post, quando comentei que namorido odeia o Elmo da Vila Sésamo e que se ele visse esse blog a coisa toda poderia terminar em divórcio antes do casamento sair?

Pois então. Eu sou ixpérrrta pra caramba, né?

O endereço do blog ficou no histórico do computador. ¬¬

No final das contas ele disse que se sentiu lisonjeado [e um tanto envergonhado], e quer ver quanto tempo esse blog vai durar [sou mestra em criar blogs e deletar uma semana depois].
E como agora sei que ele anda passando por aqui de vez em quando, aí vai a primeira "homenagem" do dia:


Feliz penúltimo aniversário solteiro, moço!

[pressinto um homem de 1,90m gritando e saindo correndo...]

terça-feira, 19 de abril de 2011

O convite dos padrinhos e madrinhas [parte 1]

[senta que esse post é comprido pra chuchu!]


Ando vendo em um monte de blogs por aí que o povo monta planos cada vez mais mirabolantes para convidar seus padrinhos e madrinhas.
Namorido e eu, lesos do jeito que somos, nunca pensamos a respeito e acho que até por conta disso quase metade do cortejo já estava convidada antes mesmo de a gente saber que existe uma espécie de “protocolo” pra isso. Estes são os meus, depois escrevo sobre os "convites" do Elmo:

Casal de padrinhos #1 da Carol:

Minha prima e seu marido.Sabe quando a gente é pré-adolescente e fala coisas tipo “Ó, quando você casar eu vou ser sua madrinha e você vai ser a minha!”? Com a gente ficou combinado desse jeito. No final das contas ela deu um certo azar, pois me colocou pra entrar na igreja com meu então namorado e vai ficar sem ver um dos seus padrinhos de casamento pro resto da vida!

Eu queria que ela fosse a primeira a ser convidada, que a gente marcasse alguma coisa e eu desse a “grande notícia” e tals, mas uma coisa nada legal aconteceu: seu bebê nasceu prematuro e precisou ficar 21 dias na UTI.

Domingo passado foi aniversário dela e eu estava com receio de ligar até pra dar os parabéns, mas a irmã dela me deu uma das melhores notícias dos últimos tempos: Gabriel estava em casa. Liguei, chorei e no meio do atropelo fiz o convite.





Padrinho #2 da Carol:

[Da série: eu queimo meu próprio filme]

Meu primo “imediatamente mais novo”.

Quando a gente era pequeno eu sacaneava que ele seria meu padrinho. Uns anos atrás ele passou a acreditar.

Estava eu sozinha no apê fuçando coisas de casamento na internet [e tentando desesperadamente ligar pra Madrinha #2, sem sucesso] quando vi o dito cujo a toa no google talk e resolvi falar por ali mesmo. Ele não acreditou quando eu disse que salvei toda a nossa conversa [muitas partes foram cortadas por respeito a quem está lendo]. Ó o final:

Douglas: fala logo

levo o celular pro banheiro

só vai demorar mais a digitar

Douglas: já reparou q eu nunca saio do gtalk?

é o celular

Carolina: dooouglaaaaasssss!!!!!

[...]

Carolina: raquel tá por aí?

é q ainda nao falei pra ela do casamento

Douglas: não, ela foi pro pilates

sei la o q

ou academia

nao sei direito


Pois é. Contei antes de saber do “detalhe”... ¬¬

Esse finalzinho de conversa nos leva a:


Madrinha #2 da Carol:

Foi minha prima caçula por 22 anos [agora a gente tem a Gabi (minha daminha)], e é praticamente minha irmã.

Divide um apartamento com o Padrinho #2 por causa da faculdade e acho que já estava subentendido que seria minha madrinha desde sempre! Como comentei ali em cima, tentei como louca falar com ela antes de falar com Padrinho #2, mas apesar de ter pedido pelamordedeus pra ele não contar nada, atendeu o telefone azeda que nem jiló, injuriada por não ter sido avisada antes do mala.

Pensei: “pelo menos o convite pra madrinha eu ainda posso fazer ao vivo!”


No domingo seguinte, quando eu apareci no portão da casa da minha avó [aka: vila onde metade da família mora], só deu tempo de ver uma das minhas tias cutucando Raquel e dizendo: “Ali, ó! Tua afilhada chegou!”

Meu queixo foi no chão.

Raquel deu um sorrisão que só não foi mais bonito que o do dia que passou no vestibular.

E tia Helena passou o resto do final de semana com um esparadrapo na boca.


Padrinho #3 da Carol:

Sabe o Dexter?

Boa pinta pra chuchu, né? Pois é, meu outro primo parece com ele.

Mas é comprometido, viu? E a namorada dele é o xodó da minha avó.

Estranho eu ter uma família tão grande e ser filha única de pai e mãe, não? Mas esse cara aí cumpre bem o papel de irmão. Carregou sofá debaixo de chuva quando resolvi morar mais perto do trabalho e sempre fila meus biscoitos e meu jornal de domingo.

Conta as histórias mais inacreditáveis, que a gente só tem certeza que aconteceram porque se tiver que contar 20 vezes, nas 20 ele conta com a mesma riqueza de detalhes.

Ficou toda uma tarde de sábado perambulando de braço dado com a Madrinha #2 pela casa, dizendo que formariam o par mais bonito do casamento.


Aqui, ó!


Madrinha #3 da Carol:

[Desenho feito pelo namorido! Btw, meu avatar também!]

E chegamos ao motivo do post anterior.

Perceberam que até aqui todos os padrinhos são da família?

Não sou de muitos amigos. Fato. Três da faculdade, duas do trabalho e uma de escola [que não conta porque casou com um dos meus primos (ainda não citado) e entrou pra família].

E a Lilica.

Sabe a pessoa mais improvável no mundo de se tornar tua amiga? [Principalmente quando oficialmente ela é amiga do teu namorado. Já rola aquele estranhamento básico, né?]

A que já morou em meio mundo enquanto você só viaja pra visitar parentes; a que tem a tatoo mais estilosa [que fez antes de virar modinha] enquanto você quase foi deserdada quando fez um segundo furo na orelha?

Talvez por isso eu tenha resolvido elaborar mais o pedido. Não só por ser aquela minha amiga “descolada”, mas porque sou tão fechada no meu mundinho que deixar alguém oficialmente entrar nele exige certa preparação.

Não foi nada absurdo, com balões e carro de som. Foi uma coisinha singela, mas que eu tinha quase certeza de que ela ia gostar.

Sabe os cupcakes do post anterior? Lílian teve que trabalhar no dia do lançamento e por isso não pode ir. Mandei mensagem com a desculpa de saber quando afinal ela comeria os bolinhos e acabamos combinando um programinha bem família: torradinhas, pastinhas, pipoca e seriado repetido.

Saí do trabalho na sexta feira e comprei um monte de cupcakes. Coloquei em uma caixinha bonita, escrevi um bilhete [que virou um testamento, como esse post] e deixei na geladeira.

Ela riu quando leu que “poderia não aceitar caso houvesse a possibilidade de virar cinzas ao pisar em solo sagrado”. Mas acho que nesse ponto já tinha topado.


Claro, se tiver open bar! ;)

Cupcakes Di Francis

[este post é uma “introdução” para o post seguinte!]

Aqui no Rio existe uma rede de supermercados mais chiquetozinha chamada Zona Sul. Dentro da maioria das lojas tem uma pizzaria bem simpática [que já salvou a mim e namorido uma boa meia dúzia de vezes tarde da noite] e em algumas delas tem também a Dolceria Di Francis.

Sabe quando você é tão viciado que já conhece as tortas pelo nome? Pois é. Não é uma fatia de torta de maçã, é a Maçã da Nonna! #gordafeelings total!

Mas fiquei realmente apaixonada pela loja quando completamente por acaso descobri o Blog da Francis no finalzinho de 2008 [o antigo!] e conheci a história por trás da marca. Depois de muitos comentários no blog e e-mails trocados, estava eu no dia 9 no lançamento da linha de cupcakes da Di Francis!

Foto tirada com minha câmera capenga [será que vão me xingar se eu incluir uma câmera na lista de presentes?]

[ctrl + clique na foto faz ela ficar maior em outra tela, dá pra ver detalhes dos cupcakes apesar do flash maldito... ¬¬]

Sentiu a provação?

Estes folhetos eu peguei ontem de noitinha na loja quando fui alimentar meu vício [dessa vez foram o Penélope e o Lemon].

Detalhe: quando saí de lá só tinha uns 2 cupcakes pra contar história!

E sabe o que é o melhor disso tudo? Como comentei com ela no twitter, os cupcakes mais gostosos do Rio de Janeiro são também os que tem o preço mais amigo! \o/

Sei que a Di Francis aceita encomendas de doces e tenho quase certeza de que aceita encomendas de cupcakes também. Na dúvida, é só entrar em contato!

Rua Bambina, 600, Botafogo. Tel.: 2246-3828

Shopping Barra Square, Extensão. Tel.: 3325-1177

R. Bartolomeu Mitre, 705, Leblon. Tel.: 2515-2200

Av. N. Sra de Copacabana, 936, Copacabana. Tel.: 2256-4477

Só pra constar [2]

Sensação esquisita essa de estar falando sozinha, viu? Fico até me sentindo meu tio solteirão nº 2.

E também percebi que escrevo demais. O povo deve ter preguiça de ler esses textos compridos! Vou tentar me policiar.


[Acho que tenho é que parar de passar a perna no meu terapeuta pra ir pra casa ver Everybody hates Chris e ir toda quinta feira pras consultas... oO]

domingo, 17 de abril de 2011

Rainbow roses

Quando namorido e eu começamos pesquisar coisas pro casório começamos também a descobrir um tanto de coisa que nem sabíamos que existiam, como arroz em formato de coração [mas hein???], petit verres e lágrimas de alegria.

Aliás, só os petit verres já rendem um post a parte, viu? Descobrimos um lugar que vende os potinhos no atacado e já íamos nos meter a besta de encomendar, mas uma das minhas tias me deu um passa fora dizendo que véspera do casamento não é pra fazer mousse de maracujá. Enfim. Depois eu falo disso.

Semana passada vi as tais rainbow roses em algum blog/site que não lembro qual e fiquei a semana inteira com elas na cabeça.

Fonte: http://opulentcreationsevents.squarespace.com/blog/2009/7/25/rainbow-roses.html

Lembrei de uma daquelas experiências de livro de biologia do ginásio [vééélha!]: a que dizia que para fazer uma rosa azul bastava deixar uma rosa branca em um copo com corante durante a noite que pela manhã as pétalas estariam completamente coloridas [alguém aí poderia dar uma explicação mais cientificamente correta?].

Como sou ixpérta, pensei:

Se

um caule + um copo com corante azul = rosa azul

Então

um caule partido em três + três copos com corante nas cores primárias = rainbow rose!

Sou tão ixpérta que esqueci de dar um google antes de fazer essa presepada toda. Agorinha, quando comecei a escrever este post, coloquei “rainbow rose” e “how to do” no google e encontrei esses dois tutoriais aí de baixo.

http://en.wikipedia.org/wiki/Rainbow_rose

http://www.ehow.com/how_7622303_make-rainbow-roses.html

Deixa quieto... ¬¬

Daí que como eu estava muito ocupada nesse fim de semana na casa de mamãe [cof cof cof], resolvi colocar em prática.

Você vai precisar de:

- uma rosa branca [R$1,00]

- um estilete [R$2,50]

- corante [R$1,50 cada]

- tantos copos/vidros/vasilhas quantas forem as cores escolhidas [Estes aí acho que são de extrato de tomate que encontrei perdidos no quartinho de despejo da casa da minha avó. Tirei a foto e só na hora de encher com corante me toquei que deveriam ser todos do mesmo tamanho. Tonha, eu...]

Como resolvi usar três cores, cortei o caule em três pedaços. Faça isso com cuidado, o meu ficou com mais pontas que meu cabelo... ¬¬

Coloque os três copos com água e corante o mais próximo possível um do outro. Ponha cada pedaço do caule em um copo.

Lembre-se de não fazer porcaria na toalha que a melhor amiga de sua mãe trouxe pra ela de Portugal.

Deixei por mais ou menos 24 horas e ficou assim:


EPIC FAIL!!! xD

Perceberam que ficou toda com pintinhas? =) [ctrl + clique na foto faz ela abrir um pouquinho maior em uma nova aba]

Acho que alguns fatores podem ter contribuído:

- a rosa não estava fresquinha

- não consegui cortar o caule em pedaços iguais e estes pedaços ainda ficaram um tanto “esfiapados”


Os tutoriais dos links aí de cima dizem pra deixar a rosa no corante por até 48 horas. Saí da casa da minha mãe e deixei a rosa de molho, amanhã peço pra ela tirar uma foto.

E aí, vale a pena uma segunda tentativa?