segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Agora vai! Erm... Vai?

E então prometi que voltaria a escrever e, para variar, não cumpri.

Entendam, eu realmente tinha a intenção e um motivo do tamanho do mundo para me empolgar, mas 2016 aconteceu e foi mals, num deu.


Eu tentando passar por 2016


O motivo do tamanho do mundo os meus 17 leitores e meio [ou pelo menos a maioria deles] já sabem: foi em janeiro desse ano, cerca de uma semana antes de criar esse blog aqui, que descobri que nossa família aumentaria. Pensei em altos textos sobre como descobri, como contei pro marido, como foi o cagaço dos exames, expectativa sobre ser menino ou menina, enxoval...

Nesse meio tempo 2016 foi acontecendo. Mais uma mudança [acabei de perceber que as fotos do post anterior são de dois apartamentos atrás!], Carminha Sandiego virou estrela [para quem não lembra, uma de minhas gatinhas que faria 11 anos mês que vem], vários perrengues maiores ou menores apareceram e passaram e hoje tive a confirmação de que estou quase livre do perrengue que mais me tirou o sono esse ano: um câncer de tireóide.

Palavra feia, né? Pois é. Só hoje tive coragem de escrevê-la, depois de ver lá preto no branco no relatório da biópsia.

E por que é que uma pessoa que nem eu, que nem publica foto em facebook, resolveu escrever sobre uma coisa tão pessoal? Porque nesses meses em que passei horas e horas pesquisando sobre o assunto, vez ou outra caía em relatos que me ajudaram a ver que sim, de todos os tipos de câncer, o de tireóide é o de melhor prognóstico, e que radioiodoterapia assusta, mas não é um bicho de sete cabeças [ou eu espero que não seja, ainda não fiz].

Mas e aí, vai virar um blog monotemático? Talvez virasse se eu tivesse começado a escrever ainda durante a passagem do furacão, mas agora, com a pereba fatiada, congelada e biopsiada a quilômetros de distância de mim, acredito que não. E vamos combinar, tenho um assunto muito melhor sobre o qual escrever, não? ;)


Nenhum comentário:

Postar um comentário