sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Senta que lá vem a história (*)

Quando eu era pequena - e até hoje, na verdade - minha mãe tinha o hábito de chegar do mercado com frutas e imediatamente fazer todo o processo de lavar / deixar de molho no vinagre ou água sanitária / enxaguar com água filtrada / colocar em um pote / guardar na geladeira. Com isso, criei o hábito também de pegar o primeiro pote de uvas que visse e sentar no sofá pra ver Os Impossíveis [#velha], comendo as uvas como pipoca.

Em uma dessas me ferrei de verde e amarelo.

Minha mãe estava com pressa sabe-se lá por qual motivo e, em vez de executar todo aquele procedimento, guardou as uvas na geladeira para lavar depois. Eu, mal acostumada, peguei as uvas e segui com minha rotina, comendo sem nem olhar.

[cinco minutos olhando para a tela do computador sem conseguir escrever]

Ok, tentei escrever o que houve e não consegui. Travei. Comecei a ter calafrios.
De forma bem resumida, tinha um ninho de aranhas no meio do cacho de uvas. Imaginem o resto porque eu não vou conseguir escrever, não.

Foi assim que passei três anos sem conseguir comer uvas [até hoje tiro uma por uma do cacho para lavar] e como passei a sofrer de uma aracnofobia bizarra, que já me rendeu trocentas passadas de vergonha em público [inclusive dando aula pra uma turma de uns quarenta alunos de engenharia].




Guarde essa informação, será importante no futuro.



Então.
Com o resultado da tireoidectomia, a dúvida que eu tinha sobre precisar ou não fazer radioiodoterapia virou certeza, bastava decidir quando seria.

Antes da cirurgia conversei muito com minha endócrino sobre, caso fosse necessário fazer, adiar por um tempo já eu não poderia mais amamentar depois que realizasse o procedimento [e isso rende outra publicaçãomas essa é uma outra história e terá que ser contada em outra ocasião]. Como foi encontrada metástase, ela sugeriu que fizéssemos o mais rápido possível.

Como toda a preparação foi atribulada - por falta de palavra melhor -, não consegui correr atrás da liberação do Thyrogen pelo plano de saúde, e por isso precisei parar de tomar levotiroxina cerca de um mês antes do procedimento. Duas semanas antes comecei também a dieta pobre em iodo [e aqui mais um desabafo: só eu penei pra conseguir comprar sal não iodado?].

Antes de escrever fiquei pensando em qual teria sido a pior parte daquele mês, e de cara lembrei que foi trash acordar de madrugada para amamentar me sentindo a mosca do cocô do cavalo do bandido de tão esgotada, mas aí lembrei que foi um mês inteiro sem queijo. Agora tô em dúvida.

Falando sério, foram todos os sintomas de hipotireoidismo, mas on steroidsE sem queijo [é, eu gosto muito de queijo].

Por isso mesmo é que quando me disseram que a dieta estaria liberada algumas horas depois de tomar a dose de iodo radioativo, aloprei na hora de arrumar a mala:




Ou: assalto à cantina da escola

Nota mental: tentar corrigir essa foto porque o Blogger tá me trollando.


Tolinha... Mal sabia como seriam os dias que viriam...


(*) Se você não é velho e não pegou a referência, clique aqui!

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Freud explica

Bellatrix, minha companheira de almoço de quase 10 anos, me chama de cranky. E admito que sou rabugenta mesmo. Mala sem alça e sem rodinha, cheia de pedras, de papelão, ladeira acima em um dia de chuva.

Elmo, otimista incurável, diz que sou pessimista. Eu prefiro dizer que trabalho com os dados que tenho e sim, esse realismo todo às vezes dá nos nervos.

De acordo com algumas opiniões mais profissionais, sou introspectiva e com grande tendência à depressão [inclusive já passei por uma bem pesada, mais de década atrás], então, desde a descoberta da gravidez, depressão pós parto era uma preocupação. Depois, por conta dessa [perdão pelo vocabulário Machadiano] porrada que levei, a família inteira entrou em alerta.

Por providência divina ou interferência do Monstro do Espaguete Voador, o que quer que você acredite, eu passei todos esses meses com um bom humor que nem eu reconhecia.

Claro, em alguns momentos dava um bode bizarro.

E ficava pensando em como era injusto passar por aquilo tudo naquele que deveria ser o momento mais feliz da vida. E quando batia essa tristeza eu ia lá e escrevia no tal caderninho vermelho uma lista de “instruções” que incluíam desde onde estavam as informações sobre seguro de vida, senha do banco, até quais eram os colégios onde eu gostaria que Murilo estudasse.

E aí o bode passava, e foi assim pelos meses seguintes.

Com um barrigão de 7 meses nos mudamos pra um prédio no outro quarteirão, o que incluiu umas 30 viagens do Elmo tarde da noite com malas lotadas de livros, roupas e minhas bolsas [frio na espinha só de lembrar], e eu [in]felizmente sem poder ajudar.

E foi aí que meus braços ficaram em carne viva. É. Assim. Uma frase no meio do texto.

Apareceu uma pintinha, outra pintinha.
Em dias eu parecia uma cobra trocando de pele.
Agendei dermatologista.

Uns dois dias antes da consulta minhas pernas ficaram vermelhas. Em caso de curiosidade, a palavra que retorna uma busca no Google mais parecida com o que tive é púrpura, mas não recomendo procurar, não.

E eu magicamente lembrei que anos antes, na véspera da primeira prova de probabilidade do mestrado, tinha tido uma trombose. Toca procurar hematologista, fazer biópsia de braço, perna, mais exames de sangue.

[Pausa para organização: essas tretas aí em cima são as tais coisas que eu estava esquecendo que aconteceram. Só lembrei esses dias porque, mexendo na minha mochila amarela de fuga (aquela que contém todos os documentos importantes da família) encontrei as lâminas das biópsias. Tenso como a memória começa a falhar com a idade... oO]

Nesse meio tempo, em conversas com a Obstetra, a Endocrinologista e o Cirurgião/Oncologista decidíamos se o tumor seria retirado antes ou depois do parto. Por um tempo tive dúvidas sobre qual seria a melhor decisão, e resolvi então ouvir minha prima, quase irmã, que é neonatologista e me acompanhou de perto por todos esses meses: ele nasceria um pouquinho antes do previsto, mas estaria saudável e bem cuidado aqui fora pra eu poder cuidar de mim.

E então todas as manchas sumiram como apareceram. Do nada.

Talvez tenham sido causadas por estresse, algum bug no meu sistema imunológico. Nunca descobrimos de verdade o que houve. Durante toda a gravidez e até hoje, mais de um ano depois da radioiodoterapia, faço “conferências” diárias sobre se devo ou não voltar para a terapia [me “dei alta” cinco anos atrás] e confesso que até ensaiei um retorno, mas o fato é que ando meio zem zaco de encarar metrô/trânsito na hora do rush para voltar para o médico antigo [taí, deu saudade dele!] ou contar toda a minha vida para uma pessoa nova. E talvez por isso também tenha voltado com o blog.

Murilo nasceu em 30/08/2016 e ficou na UTI Neonatal por uma semana, sendo cuidado por minha prima [primeira pessoa que o pegou no colo] e uma equipe maravilhosa [que prometemos voltar para visitar e até hoje não fomos. Desculpa para isso não tenho porque o hospital é na esquina da minha casa].


Como disse antes, feliz por não ter mais a chave dessa porta!


Em 03/10/2016 voltei para o mesmo hospital para realizar a tireoidectomia.
Entrei na sala de cirurgia com a dúvida se seria total ou parcial, saí sem a tireoide e sem os linfonodos do lado esquerdo, pois foi verificada uma metástase. E com o aviso de que teria sim que fazer a radioiodoterapia.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Começando pelo princípio

Em uma publicação do ano passado comentei por alto sobre como 2016 foi um ano de altos e baixos. Cheguei a começar esse texto aqui rabiscando uma frase sobre a descoberta da gravidez, mas pensando bem a história começa antes.

Em 2015 fomos para Machu Picchu [segunda vez do Elmo, mas essa é uma outra história e terá que ser contada em outra ocasião] e acho que foi aí que batemos o martelo que tinha chegado a hora de tentar ter um bebê. Comecei a tentar cuidar melhor da saúde e, gorduchinha e friorenta como sempre fui, achei que deveria procurar um endocrinologista.

Critério de escolha: que aceitasse meu plano de saúde e fosse perto de casa. Dei sorte, encontrei uma profissional que, depois de alguns minutos pensando em um adjetivo para descrever, só consigo pensar em anjo. Me examinou com um cuidado e gentileza que não via em muito tempo, e disse que meu exame de sangue estava todinho dentro dos padrões.

“Mas por desencargo de consciência, faça uma ultrassonografia da tireoide. Na pior das hipóteses teremos um primeiro exame para comparação caso alguma coisa apareça no futuro.” Me deu o pedido do exame e falou para voltar em seis meses ou caso engravidasse, o que acontecesse antes.

Esqueci completamente daquele exame.

Em janeiro descobri que estava grávida e agendei um retorno [e levei um puxãozinho de orelha por não ter entendido que era para já ter feito a US de imediato, mas que hoje vejo como o universo conspirando a meu favor]. Fiz a bendita e pimba! Um nódulo.

Sabendo que sou a ansiedade com pernas e sairia do consultório abrindo o Google, me passou vários artigos científicos. Me tranquilizou de todas as formas possíveis. Disse que, caso não estivesse grávida, faríamos logo uma PAAF, mas como nódulos na tireoide são, em geral, “bem comportados”, repetiríamos o ultrassom em dois meses.

Dois meses passaram, repeti o ultrassom.


O nódulo parecia ter crescido, fiz a PAAF.


#FAIL

Nem preciso dizer que minha lista foi um fiasco nesses primeiros 349 dias dos 1001, mas hoje acordei com ideia fixa de voltar a escrever.

Percebi, ao conversar com um de vários médicos, que aconteceu tanta coisa nesse último ano e meio que - apesar de achar que não seria possível - comecei de verdade a esquecer. Então, pela 14ª vez nas minhas contas, vamos tentar:

COMPRAR:
 
1. Relógio - ganhei um da mamãe de aniversário
2. Porta CDs - compramos e só levou uns 3 meses pra instalar nas paredes
3. Porta guarda-chuva - devidamente pendurados no varal do banheiro da área de serviço
4. Prateleiras com cabideiro para guardar bolsas - prateleiras sim, cabideiros não. E continua tudo amontoado.
5. Impressora - comprada, agora só falta um computador novo... ¬¬
6. Instax Mini - pendente
7. Árvore de Natal - por mais um ano continuamos com a do Charlie Brown. Percebemos que seria melhor deixar pro próximo ano, mas já tá valendo a pena ver Murilo doidaraço com os pisca piscas nas janelas!
8. Decoração para Árvore de Natal - idem
9. Magic 8 ball - pendente
10. Alça para bolsa "roxa" - pendente
11. LEGO da Casa dos Simpsons - pendente, Elmo colocou o da Saturno V na frente na lista
12. Potes para sobremesa - pendente por motivo de não temos espaço na cozinha
13. Faqueiro - idem acima
14. Algum console para jogar Super Mario Bros 3 - sequestramos o Super Nintendo do Rodrigo mas ele pediu de volta, então, pendente
15. Taças - pendente
16. Canivete - pendente
17. Cama e colchão - pendente, e pelo estado em que se encontra daqui a pouco vamos ter é que dormir no chão mesmo... ¬¬
18. Jogos de cama para a cama nova - ver acima
19. Innuendo - pendente
20. Kiss me, kiss me, kiss me [ou tentar consertar o arranhado] - resolvi o problema comprando o Galore
21. Os Saltimbancos - pendente
22. S&M - pendente

CONTINUAR DE ONDE PAREI:

23. Treinar gaita - até semana passada nem sabia onde tinha enfiado a gaita, descobri que está em uma prateleira do quarto do Murilo
24. Treinar francês - parei na lição 11 do Pimsleur, voltar pro começo... ¬¬
25. Dirigir - carteira vence mês que vem, a intenção de renovar já conta alguma coisa?
26. Praticar Kyudo - nem eu, nem Elmo... ¬¬
27. Aprender Photoshop - pendente
28. Aprender Corel - pendente
29. Aprender a costurar em máquina - pendente
30. Almofada de pompons - outro dia descobri uma sacola no guarda roupa do meu antigo quarto e não sabia o que era, isso responde?

CUIDAR DA SAÚDE:

Agendar e fazer revisões anuais:

31. Oftalmologista - feito!
32. Neurologista - pendente
33. Gastroenterologista - pendente
34. Ortopedista - pendente
35. Angiologista - marquei e remarquei 6 vezes, conta?
36. Hematologista - pendente
37. Alergista - pendente

Agendar e fazer revisões semestrais:

38. Dentista - feito!
39. Endocrinologista - feito!
40. Oncologista - acompanhando com médico acima

Outros:

41. Praticar krav magá - cadê tempo?
42. Voltar [pelo menos] para o peso de antes de engravidar - pula
43. Fazer depilação definitiva - idem
44. Encontrar pelo menos uma amiga pelo menos uma vez por mês [Beatriz não vale] - pensando seriamente em dizer que Beatriz [minha companheira de almoço todo dia no trabalho] conta
45. Passar hidratante pelo menos uma vez a cada dois dias - pula
46. Usar filtro solar todos os dias - feito!
47. Beber pelo menos 2 litros de água todos os dias - quase conseguindo
48. Verificar se ainda posso fazer parte do REDOME - parte chata: descobri que ter tido qualquer tipo de câncer é impeditivo para fazer parte do cadastro, o que faz sentido

ORGANIZAR FINANÇAS:

49. Conferir/alterar pacote NET - feito!
50. Conferir/alterar pacote VIVO - feito!
51. Zerar dois cartões de crédito - zerei um, falta o segundo. Adicionar o item "não estourar o terceiro"!
52. Fazer uma poupança para o Murilo - feito!

ORGANIZAR CASA/FAMÍLIA:

53. Trocar ar condicionado - feito!
54. Renovar título de eleitor - pendente
55. Atualizar Carteira de Trabalho - atualizei o nome, falta informações da empresa
56. Atualizar dados do FGTS - feito!
57. Fazer CPF do Murilo - feito!
58. Fazer RG do Murilo - feito! A foto é a coisa mais fofa do mundo!
59. Colocar vacinas e visitas ao veterinário em dia para Gandalf e Joana - seguir acompanhamento do Gandalf, Joana infelizmente virou estrelinha...
60. Revelar o restante das câmeras descartáveis do casamento [que a essa altura já foram pro brejo] - pendente
61. Repor sacos protetores perdidos de bolsas - consegui o de uma, falta um monte... ¬¬
62. Consertar telescópio - pendente
63. Fazer uma triagem dos meus sapatos - meia dúzia de sapatilhas mofadas no lixo, tenho que repetir a limpeza
64. Renovar o guarda roupa do Elmo - feito e já precisa de um novo...

LAZER:

66. Viajar no trem da Vale [quem não tem Trem de Prata...] - pendente
67. Conhecer Paraty - pendente
68. Visitar a Sabrina na Alemanha - pendente
69. Visitar a Larissa L. em Minnesota - pendente
70. Visitar a Larissa C. em Florianópolis - pendente, mas ela tá com viagem marcada pra cá no mês que vem! \o/
71. Fazer um piquenique - feito!
72. Fazer uma festa para o Murilo no Planetário da Gávea [talvez ainda esteja muito novo nos próximos 1001 dias, mas vai ficar na lista] - pendente
73. Conhecer a Ilha Fiscal - pendente
74. Conhecer a Feira de São Cristóvão - pendente
75. Conhecer a CADEG - pendente
76. Conhecer Paquetá - pendente
77. Visitar o Museu Aeroespacial - feito!
78. Viajar com meus primos para dormir no sótão da casa da tia Tereza - só não dormimos no sótão, conta?
79. Almoçar no Mercado de São Pedro - pendente
80. Conhecer o Parque da Pedra Branca - pendente
81. Ir na Feira do Lavradio - pendente
82. Assistir na ordem todos os episódios de Arquivo X - em execução
83. Ir ao cinema pelo menos uma vez por mês - nem lembro qual foi o último filme que vi no cinema... ¬¬
84. Comemorar meu aniversário - nem lembro² o que fiz no meu aniversário... ¬¬
 
LER:
 
Terminar:


Começar:

88. O tempo e o vento - pendente
89. White line fever - pendente

MANTER DISCIPLINA:

90. Finalizar o desafio proposto pela Biessa [365 fotos] - acho que não durou um mês... ¬¬
91. Publicar algum texto pelo menos uma vez por semana - HA HA HA
92. Chegar às 8h no trabalho todos os dias - HA HA HA²
93. NÃO cortar meu próprio cabelo - realmente não fiz isso, mas fiquei p* dentro das calças com a moça que cortou
94. Ir à missa pelo menos uma vez por mês - erm...
95. Organizar iPod - deu chabu na bateria
96. Ler ou cantar para Murilo dormir pelo menos a cada 3 dias - na média acho que estou conseguindo
97. Tirar pelo menos uma foto do Murilo por dia - sou péssima com essa coisa de fotos, vou continuar tentando
98. Fazer pelo menos um cafuné no Elmo por dia - erm²...
99. Fazer jantar pelo menos três vezes por semana - erm³...
100. Ser menos crítica - erm [qual é o atalho pra elevar a 4, hein?]
101. Plagiando Biessa, fazer uma nova lista quando 28/09/2019 chegar - fazer a lista é fácil, quero ver eu ter vergonha na cara pra cumprir!


Que porcaria, hein? =/