sexta-feira, 13 de abril de 2018

Post de proporções Godzillianas sobre como comprar no Mercado Livre, ebay ou AliExpress

Ontem vi uma publicação no Facebook em um grupo que participo onde surgiram dúvidas sobre compras internacionais, especificamente no ebay. Lembrei desse texto aqui da época dos preparativos do casamento e resolvi dar uma atualizada. Posso estar falando um monte de bobagem porque ultimamente minhas compras pela internet têm praticamente se reduzido a promoções de Pampers, então mais uma vez por favor me corrijam se tiver alguma informação incorreta!

[Retirei algumas partes que faziam mais sentido na época da publicação original, ok?]


1. Cadastro:

Tanto no ML quanto no ebay ou no AliExpress é feito um cadastro de dados como o de qualquer loja online. Só é importante dar uma boa olhada nos “Termos e condições”, coisa que brasileiro nunca faz. Fiquei ainda mais noiada com isso depois do episódio da Centopeia Humana do South Park... ;)

2. Procurando o produto:

Bem intuitivo: é só pensar no maior número possível de informações sobre o que você quer e jogar em “buscar” [ou “search”]. No caso do berloque do laço da campanha de conscientização sobre o câncer de tireoide, joguei "laço campanha câncer tireoide" no ML [e não encontrei nada que me agradasse] e “thyroid cancer ribbon charm” no ebay. Já para comprar o berloque que representa meu anel de noivado, joguei "claddagh Pandora charm" no AliExpress. O tradutor do Google pode ser bem útil nessas horas!

Compra no ebay

Compra no AliExpress


3. Escolhendo o produto:

Algumas coisas que devem ser levadas em conta [além do preço!] ao escolher de qual vendedor comprar:

No ML: prestar atenção na reputação do vendedor.



Ao clicar nesse link, normalmente no canto direito do anúncio, vai aparecer a Reputação atual, Total de negociações [Concretizadas ou Canceladas] e as Qualificações [Positivas, Negativas ou Neutras]. Os vendedores com as melhores qualificações dadas pelos compradores são identificados pelo “selo” Mercado Líder.

No ebay aparece assim:



E os vendedores com as melhores qualificações são considerados Top-rated seller.

E no AliExpress [informações sobre o vendedor no canto esquerdo do anúncio]:




3.1 Sobre falsificações

Dependendo do que você vai comprar, é importante atentar para esse detalhe. O ebay tem uma política de "repreensão a falsificações" bem mais ferrenha que a do ML, lembrando que normalmente um produto é identificado como fake a partir de denúncias dos usuários. No ebay o vendedor é desligado quando se verifica que ele mentiu sobre a originalidade do item [diz que rende até puliça!], já no ML... Cansei de perder bons minutos denunciando vendedor de bolsa falsa e os caras continuam lá vendendo [é, meu maior vício ainda é o das bolsas, um dia tento escrever alguma coisa sobre como identificar falsificações]!
Já no AliExpress eu [repetindo, EU!] parto do princípio que é tudo fake/inspired e nunca tentei comprar algo que soubesse ser uma "versão" de outro item.

3.2 Sobre produtos usados

No ML é só pedir muitas fotos e muitos detalhes do que se quer comprar, já no ebay é melhor nem se dar o trabalho: é proibida a compra de qualquer objeto usado, mesmo que venha qualificado como presente [gift]. A Receita Federal pode abrir sua encomenda e taxar ou até mesmo apreender o produto. Para ler mais sobre isso veja os artigos 57, 58 e 59-A da Portaria SECEX nº 23/2011 nesse link aqui.

[Sobre as taxas vou falar mais ali embaixo].

4. Entrando em contato com o vendedor:

No ML há um campo de “Perguntas ao vendedor”, é sempre bom dar uma olhada. Mas como sempre há dúvidas sobre o valor do envio, por exemplo, é só clicar em “Fazer uma pergunta” e descrever o que se quer saber.

No ebay não há esse campo de perguntas: todas elas caem diretamente na caixa de email do vendedor e as respostas são enviadas também para o email do comprador [essas mensagens podem ser acessadas na sua "página pessoal" do ebay].
No AliExpress o esquema é parecido, existe um campo "Contate o vendedor" no canto esquerdo do anúncio [abaixo da qualificação]. A comunicação pode ser um tantinho mais complicada por conta de o “idioma oficial” ser o inglês, mas é só guardar algumas perguntas chave como [no meu inglês macarrônico] “How much is shipping with tracking number to Brazil (South America)?” ou “I would like to know if you can deliver it to Brazil.”. Mais uma vez o tradutor do Google ajuda pacas!

Atenção: tanto um quanto o outro não permite que sejam feitos contatos fora do sistema. O ML só disponibiliza o email no final da compra [não é permitido colocar informações pessoais no campo de perguntas]. Já no ebay [se não me engano] é possível ter acesso ao email do vendedor, mas o site desencoraja que o contato seja feito diretamente.

5. Envio e tempo de entrega:

No ML normalmente o envio é feito através dos Correios, então a gente já está familiarizada com a zona os prazos e preços.

Sobre o ebay, depende. Generalizando e partindo do princípio que a compra vai ser feita de um vendedor dos EUA:

5.1 USPS

São os Correios dos EUA. Normalmente o que vale pro de cá vale pro de lá, mas já me aconteceu de comprar no Revolve Clothing e chegar em 5 dias úteis [mesmo com o frete mais barato, que não tem número de rastreamento], como já me aconteceu de comprar com rastreamento no ebay e no ASOS [só para citar um caso do UK] e nunca chegar.

5.2 Empresas de entrega, como FedEX, DHL e UPS.

Frete mais caro, normalmente com entrega expressa. Funciona para encomendas dentro do país também, mas perdi um pouco a fé nelas desde que a DHL levou vários dias para entregar os convites de casamento de uma amiga [por conta da greve dos Correios], apesar de todas as minhas compras entregues por qualquer uma delas sempre terem chegado no prazo.

5.3 No caso do AliExpress

As entregas padrão são normalmente feitas pelo equivalente aos Correios da China [principalmente quando o produto é enviado com frete grátis], mas se deve sempre prestar atenção se é essa a opção que está marcada na hora da compra.

De forma resumida, qualquer compra feita em sites internacionais e que a entrega não seja feita por uma empresa de courier deve funcionar no esquema de "compre e esqueça que um dia chega". Só pra dar um exemplo, prestenção nas informações dessa minha compra no Strawberrynet:



5.4 Sobre o Centro Internacional em Curitiba

É sentar no meio fio, chorar e esperar uns dois meses ['bora rir de nervoso porque corre o risco de eu desabar a chorar se parar para escrever sobre o sucateamento dos serviços públicos].






6. Impostos

Mais uma vez corrijam-me se eu estiver errada, mas os únicos produtos que não são taxados quando entram no país são aqueles com valor declarado inferior a U$50,00 enviados de pessoa física para pessoa física. Fora isso, todo produto vindo do exterior com valor declarado acima de U$50,00 [ou mesmo abaixo de U$50,00, caso tenha sido comprado em uma loja] está sujeito a recolhimento de 60% de imposto [que incide em “valor do produto + frete”], mais 18% de ICMS [para o Rio de Janeiro, esse valor varia de estado para estado].

Se não me engano, a conta fica assim, chamando “Produto + frete” de “compra”:

Valor final = [Compra + 0,6 x Compra] + 0,18 x [Compra + 0,6 x Compra]

Caso o seu produto seja taxado, você vai receber uma notificação com a indicação de em qual agência dos Correios você deve ir buscar o pacote, e também qual é o valor do imposto a ser pago [em dinheiro na agência (essa reportagem aqui fala sobre a possibilidade de passarem a aceitar cartão de crédito para o pagamento das taxas, mas ainda não verifiquei se já está ocorrendo)].

Lembrando que quando a transação é feita via “Correios de cá e Correios de lá”, a taxação é feita por amostragem. Você pode dar uma baita sorte de não pagar imposto naquela calça da 7fam que custou U$150,00 e ter que pagar imposto nos produtinhos da MAC que custaram uma pechincha no Morangão. Já no caso das empresas de entrega, o imposto é pago pela empresa no momento que o pacote chega e você “reembolsa” este valor para a empresa.

Como sempre vejo o copo como meio vazio [e meus diplomas na gaveta dizem que sei um pouco de estatística], parto do princípio que a regra é ser taxada e só faço a compra se ela ainda valer a pena mesmo com todos os impostos calculados.

Atenção: nada de dar um “jeitinho” e pedir para o vendedor declarar o pacote com um valor menor! Já aconteceu de o vendedor declarar um valor mais baixo por livre e espontânea vontade, mas já vi acontecer de pedirem isso e o vendedor não só cancelar a venda, como também parar de enviar para o Brasil. Fora que declarando um valor mais baixo você perde o direito ao seguro e o vendedor pode ser desligado do ebay!

7. Formas de comprar:

Basicamente, leilão [Arremate no ML ou Auction no ebay] ou compra direta [Preço fixo no ML, Buy it Now no ebay]. No AliExpress sempre usei meu cartão de crédito diretamente, mas sei que alguns vendedores aceitam a opção de pagamento através de boleto bancário.

Na compra direta o esquema é: encontrou o produto, tirou a dúvida sobre o valor do frete com o vendedor, clica em “Comprar” [vou falar sobre o pagamento no próximo item].

No caso do leilão, acho que eu precisaria de todo um post para explicar! xD

De forma resumida funciona assim: você preenche o valor que você está disposto a pagar por aquele produto e submete este valor. No dia e horário previsto para o leilão acabar, você vai ser avisado se “ganhou” ou não o leilão. Se antes de o leilão acabar alguém submeter um valor maior do que aquele que você tinha proposto, o site vai te enviar um email avisando que sua proposta foi superada e a partir daí você tem chance de aumentar este valor ou não. Caso você seja o ganhador, a compra segue como uma compra normal.

O compromisso da compra começa no momento que você clica em “Comprar” [mesmo que por engano] ou dá um lance no leilão! A partir daí o vendedor já está pagando comissão para o site!

8. Pagamento

8.1 Mercado Livre

A forma de pagamento mais básica do ML [e que eu não recomendo] é o depósito em conta. Quando você clica em comprar, tanto os dados do vendedor [inclusive telefone] são enviados para o teu email. Você faz o depósito, o vendedor identifica este depósito e envia o produto.

O que costumo usar é o Mercado Pago: o pagamento pode ser feito via boleto bancário ou em até 18 vezes com cartão de crédito [com juros].

Você faz o pagamento para o Mercado Pago, o vendedor envia o produto e, se estiver tudo ok, você libera o dinheiro para o vendedor e faz a qualificação. A vantagem é que, como o vendedor só recebe o dinheiro quando você indica o recebimento da compra, a chance de ser enganado é menor... ;)

8.2 ebay

Eu uso o PayPal que, explicando bem en passant, é um tipo de banco do ebay onde você “paga” para o PayPal o valor da compra (via cartão de crédito) e o PayPal envia o dinheiro para o vendedor, mas ou menos como no Mercado Pago.

[Tenho que conferir esse próximo parágrafo, ok? Estas informações são de quando criei minha conta, acho que uns 10 anos atrás...]

No momento da criação da conta, você cadastra um número de cartão de crédito internacional. Para validar a conta, o PayPal vai cobrar um valor baixo no teu cartão [coisa de U$2,00] e, na fatura, esse valor estará associado a uma senha de quatro números que você utiliza para terminar o cadastro [deve aparecer como PAYPAL*0000]. Aquele valor vai contar como uma espécie de crédito em sua primeira compra [se o produto custar U$14,00, por exemplo, será cobrado apenas o que ultrapassar os U$2,00. No caso, U$12,00.], e em todas as vezes que você utilizar o PayPal precisara apenas informar login e senha, e não o número do cartão de crédito.


Ufa! Acho que é isso! Não sei se ajudei ou atrapalhei, qualquer coisa é só me mandar uma mensagem! =D

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

O depois

Não que tenha acontecido algo de muito absurdo a partir daí. Na verdade, depois de toda aquela cerimônia de boas vindas ao quarto de chumbo acho que pouca coisa me surpreenderia. O que acabou com meus planos de férias foi ter ficado absurdamente enjoada com a quantidade cavalar de água que tomei para tentar adiantar minha saída da clínica.



Acho que já perceberam que não costumo entrar em detalhes sobre os procedimentos, não? É que percebi, enquanto buscava enlouquecidamente por conteúdo sobre a radioiodoterapia, que as "instruções" variam bastante de clínica para clínica e de médico para médico. Como esse espaço aqui está longe de ser uma fonte confiável, prefiro deixar só umas "percepções" aqui e ali.


Apesar disso, duas informações que encontrei em praticamente todos os blogs que visitei foram: tomar vários banhos e beber muita água, já que isso faria com que a radiação diminuísse mais rapidamente. Levei tão ao pé da letra que acho que na primeira hora após liberarem a alimentação já tinha bebido umas duas garrafas, o que fez com que sentisse um enjoo maior do que qualquer um que tenha sentido durante a gravidez, e que me acompanhou por alguns dias após sair da clínica.

No mais, vida normal.

Voltei pra casa, me tranquei no quarto [ouvindo piadinhas de que seriam 15 dias a base de pizza, já que era o que passaria por baixo da porta], vi todos os episódios possíveis de todas as séries que marido tem implicância.

De tudo isso, o que mais me marcou foi essa foto aqui de baixo:




Era dessa distância que eu via o pé do molecote, para não correr o risco de fazer qualquer mal a ele.


E mesmo preferindo não me aprofundar muito em um assunto que não domino, acho válido incluir aqui os links de alguns artigos que li enquanto estava no desespero de procurar todo tipo de informação possível. Se alguém chegou aqui a partir de uma pesquisa como as que fiz, aposto um cachorro quente e meio chiclete que essa imagem que encontrei semana passada no Instagram nos representa muito bem:





O principal artigo, que é quase um "manual de instruções" de como lidar com cada caso: Nódulo tireoidiano e câncer diferenciado de tireoide: atualização do consenso brasileiro



Esses quatro artigos [infelizmente não encontrei versão em português] tratam especificamente do tratamento durante a gravidez: 





Outcome of differentiated thyroid cancer diagnosed in pregnant women

Thyroid function during pregnancy


E encontrei também publicações de dois blogs que li e reli nem lembro quantas vezes:




Hoje, um ano e dois meses depois da radioiodoterapia, posso dizer que estou ok. Apesar de ainda estar ajustando a dose do hormônio e não ter conseguido voltar ao peso de antes da gravidez, todos os exames estão legais, graças a Papai do Céu. Isso é o que importa.

A partir daqui vou tentar voltar à programação normal [que espero não ser "escrever uma vez a cada ano bissexto"].







quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Com grandes poderes vem grandes responsabilidades (*)

Sabe corrente de Facebook?
Normalmente eu ignoro [#cranky], mas de vez em quando aparece uma coisa que eu acho legal e acabo repassando/respondendo.

Uma dessas correntes que vi tinha uma série de perguntas pessoais aleatórias, entre elas qual superpoder eu gostaria de ter.
De imediato, respondi: telecinese! Pensa só que máximo seria poder estourar caixa de som de vizinho com gosto musical duvidoso sem que ele sequer soubesse de onde veio o susto? [#cranky²]

Mas o universo é um brincalhão, né?

Não basta dizer que gostaria de ter um superpoder, tem que especificar direitinho para não ficar aberto a interpretações. Mais uma vez você que lê se pergunta o que cargas d'água tem barafunda a ver com calça rasgada no joelho e mais uma vez eu digo que isso vai ser importante mais ali na frente.

Voltando à vaca fria, na véspera da internação para a radioiodoterapia abracei Murilo, Elmo, minha mãe e o gato o mais que pude [por um tempo teria que manter distância principalmente de bebês, idosos ou animais de estimação, né?], e fui à clínica tomar uma dose bem baixinha do iodo radioativo para fazer um exame no dia seguinte, logo antes da internação. A partir daí já fiquei quietinha no quarto [mais por medo de expor qualquer um sem necessidade] e 24 horas depois voltei para a clínica.

Deixei minhas coisas no quarto e fui lá fazer o exame enquanto Elmo esperava [vinte minutos mais longos da vida não pela preocupação, mas porque a cama era estreita, os braços ficaram sem apoio e o carinha avisou que teria que reiniciar caso houvesse qualquer movimento]. Voltei para o quarto e resolvi fazer um “reconhecimento” enquanto o médico foi buscar a caixinha de chumbo. Olhei para a porta do banheiro, ela estava lá.

Uma fucking aranha.

Tive minha reação protocolar: gritar e sair correndo. Nem preciso pedir pro Elmo matar, ele já sabe o que aquele circo todo significa. Deu cabo da maldita, o médico chegou. Elmo se despediu e foi embora como meu herói.

Tomei a dose de iodo, o médico foi embora e fechou a porta atrás dele. Resolvi colocar meu pijama e ir ao banheiro. Olhei novamente para a porta do banheiro.

OUTRA.FUCKING.ARANHA.

Gelei. Não lembro exatamente o que houve, mas sei que em algum momento eu só olhei pra cima e falei:

“Tu tá me testando?”

O primeiro impulso foi correr, mas logo depois me veio a imagem de uma Carolina amarrada na cama pelos três dias seguintes por ter tentado fugir do isolamento. Lembrei também de um texto do Fernando Sabino onde ele contava sobre seu medo de lagartixas, e me deu um calafrio de pensar no final daquela história, com o corpo de uma lagartixa esmagado, pisado por um pé sem sapato.

Foi aí que me veio à cabeça a história dos superpoderes. Pensei que a coisa mais irônica do mundo seria meu poder vir da picada de uma aranha radioativa. E isso serviu de gatilho para, pela primeira vez em uns 25 anos, eu ter uma reação frente a uma dessas criaturas malditas: tacar toda e qualquer coisa que encontrei no meu caminho.

Nem faço ideia se o povo que estava do lado de fora se preocupou com a barulheira que rolava dentro do quarto, o importante é que depois da 5ª ou 6ª jogada de chinelo a bicha estava lá estendida no chão, e eu sentindo um baita orgulho da minha coragem.

Devo ter usado metade de um rolo de papel higiênico para embrulhar o que sobrou e dei mais umas 3 descargas para garantir que não voltasse para me assombrar. Depois disso pensei que o restante da estadia seria fichinha e qualquer coisa que viesse seria lucro, férias de três dias regadas a Cheetos e NCIS Los Angeles.

Mais uma vez, não poderia estar mais errada...





(*) Pra quem quiser saber o motivo desse título aí em cima, basta clicar aqui!